31/01/2016

Não existem ateias quando a menstruação desce

A forma como eu tenho questionado minha não-crença tem se tornado bastante curiosa nos últimos tempos.
Desde os 12/13 anos, me declaro como ateia. E é óbvio que num país majoritariamente religioso, isso gerava muitos problemas práticos tais como discussões em família na hora do almoço, horas de tentativa de doutrinação parental etc. No começo, tinha a ver com rebeldia, raiva da igreja católica, raiva de Deus, raiva das pessoas que usam religião como pressuposto fático pra serem ignorantes com os outros. Vivi um momento confuso na pré-adolescência, por não saber que bissexualidade existia, então eu achava que estava com alguma espécie de doença sem cura. Mesmo assim, frequentava a missa e, segundo o padre, um dos males da sociedade era a homossexualidade. Resolvi mandar o padre tomar no cu internamente. Parei de ir à missa com meus pais, e à princípio eu tinha dores de cabeça, estava gripada, tinha dever de casa pra fazer. E depois de um tempo eles também pararam de ir à missa ou de perguntar por que eu não ia.
Hoje, entre meus 20 e 30 anos, cansada de discussões religiosas em volta da mesa, nem um pouco preocupada se na hora do pai nosso vou estar num canto olhando as notificações do facebook, tenho pensado se um dia minha vontade de gritar que DEUS NÃO EXISTE vai acabar. Às vezes acho que ela está acabando, e que ando pelas ruas só a espera do famoso Milagre.

Eu quero acreditar. Quero muito. E já tomei medidas drásticas e nada racionais para me fazer acreditar, como dizer em voz alta: se Deus existisse, certamente ele teria inventado Quentin Tarantino. Ou seria Quentin Tarantino um deus?
Reticências.

E na última sexta-feira, estava um dia ensolarado na minha cidade. Muito ensolarado. Eu tinha acabado de assistir a uma audiência em um dos Fóruns da cidade, por causa do estágio. Estava com uma roupa social totalmente escura. De preto no sol de 40°C. Deixando os goticismos de lado e a grande burrice em escolher roupa escura pra sair de casa, sabendo que na volta eu vou pegar no mínimo uma insolação, eu estava desesperada.
Desesperada talvez não seja a palavra. Mas eu estava menstruada há alguns dias, e minha menstruação será para sempre um mistério para a humanidade em termos de fluxo sanguíneo. Às vezes tenho até que tomar remédio pra anemia, uma coisa realmente fantástica o sagrado feminino.
Eu odeio menstruar. Com todas as forças que esse maldito útero faz pra soltar essa merda vermelha que sai uma vez por mês.
Entrei no ônibus e estava em pé. A Mari Mari tinha acabado de me mandar mensagem, mas quando eu abri a bolsa pra pegar o celular e ver quem era, senti uma coisa muito estranha. Muito estranha mesmo. E eu estava desesperadamente preocupada, com vontade de chorar por todas as gerações de mulheres que menstruam e não sabem lidar com isso muito bem, assim como eu.
Tentei ficar calma, li as mensagens da minha amiga, mas no fundo pensando CARALHO, PUTA QUE PARIU!!!! ESSE SANGUE TÁ VAZANDO E TODO MUNDO VAI VER RIOS DE SANGUE DESCENDO PELA MINHA PERNA, EU PRECISO CHEGAR EM CASA LOGO. Eu sentia um líquido descendo pelas minhas pernas e não tinha coragem de olhar pra baixo e saber o que era. Mas eu estava de saia, e isso significa que todo mundo estava vendo a menstruação descendo pelas minhas pernas enquanto eu estava lá em pé.
Um senhor que estava sentado na minha frente se levantou pra descer no próximo ponto, e eu juro por DEUS que tinha muita vontade de sentar naquele maldito assento, porque eu queria sentar pra descansar as pernas do salto agulha, e mandar mensagem pra Mari e dizer: amiga, pelo amor de DEUS, tá acontecendo uma coisa horrível que acontece comigo todo mês. Mas parte de mim dizia: se você sentar, quando levantar vai ter uma poça de sangue no assento e todo mundo vai te olhar. Começou a pintar suor da minha testa, minhas axilas começaram a transpirar - Deus inventou o desodorante? - e meus pés começaram a escorregar dentro dos sapatos. Fiquei em pé. Digitei uma mensagem pra Mari, mas com um dedo só, então eu nem conseguia dizer que estava me despedindo desse mundo para sempre. Um rapaz sentou e se ofereceu pra segurar minha bolsa. Aceitei. As duas mãos suadas segurando os ferros do ônibus.
Rezei o pai nosso. Jurei que se eu saísse socialmente viva desse ônibus, ia andar de joelhos por qualquer escadaria dessas do Brasil que as pessoas usam pra subir de joelhos quando fazem promessas. Deus, por favor me ouve, eu nunca fui tão ruim assim, só estive confusa. Jesus Cristo, Santa Maria Mãe de Deus, por favor me ajudem.
Eu rezava e pensava nas imagens da Christina Aguilera, tão gente como a gente, e seu acidente com a menstruação. Que na verdade era bronzeado, mas achei que se pensasse que ela é tão humana quanto eu, iria me tranquilizar.


Estava perto de casa. Em pé. Puxei a cordinha. Desci com as pernas bambas.
Meu Deus, só mais um pouquinho e eu chego em casa, tiro essa roupa horrível e me tranco no banheiro com o desejo de só sair dele quando tiver passado pela menopausa. Abri o guarda-chuva pra fazer sombra e andei até chegar em casa.
Minha mãe perguntou:
- E aí, minha filha, como foi seu dia?
- EU TO SANGRANDO PELA VAGINA, DÁ LICENÇA POR FAVOR.
- Hm, ok. Obrigada pela informação.

Ligo a luz do banheiro. Tiro a blusa de botão, a saia lápis e o sutiã. Olho pra baixo.
Não era menstruação. Era suor.
Deus existe. Ele transformou menstruação em água.

7 comentários

  1. HAHAHA ai miga, passo por isso TODO O MÊS, o pior é que as cadeiras da furg as vezes eram verdes, brancas... e já sujei uma preta de sangue, como uma ninja consegui limpar, MAS PENSA SE EU CARIMBO UMA BRANCA?
    E ah, só a nível de curiosidade, isso escorrendo das pernas da Christina é spray de bronze falso, não é menstruação :v
    Bezo!

    ResponderExcluir
  2. EU TÔ MORRENDO PORQUE ME IDENTIFIQUEI DEMAIS (fora a parte do ateismo)

    E se não é o suor, é naqueles dias próximos da menstruação que começa a descer aquele muco pra liberar a passagem, e eu tô no ônibus e eu sinto essa coisa saindo da minha vagina e eu fico louca achando que é menstruação e naquela agonia até chegar em algum lugar onde eu possa checar (por sorte sempre levo absorvente na mochila/bolsa/etc.).

    E minha menstruação é um mistério também, às vezes ela vem como uma cachoeira e eu tenho que usar absorvente noturno e trocar a cada 2 horas, ou ela vem tão pouco que parece que nem de absorvente eu preciso. É um sarro.

    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  3. Não me considero ateia, acredito em Deus mas não em religiões.
    Menstruação não é coisa de Deus, só acho. rs

    ResponderExcluir
  4. Eu acho que você tem que publicar um livro. Com suas histórias sobre se afundar em farofa e sangue que vira suor.
    Quando as pessoas me dizem que mulher menstrua porque Deus nos fez pagar com sangue pela bendita maçã, eu quero quebrar a cara - DEUS NÃO PODE SER TÃO FILHO DA PUTA! Mas daí, ele talvez nem tenha mãe, então ele não pode mesmo ser filho da puta. Mas ele não pode ser tão trágico, socorro
    Mas ó, se te faz feliz: pesquise todos os problemas de saúde que você terá depois da menopausa, por falta os hormônios. Vai te fazer sentir menos pior ♥
    (e eu fico anêmica também. É a vida. Ou não).

    ResponderExcluir
  5. MEUS DEUSES, ME IDENTIFIQUEI MUITO( só não a parte do ateísmo)

    Todo mês eu viro uma cachoeira, TODO MÊS. E o pior, com a menstruação vem enjoou, aparece mancha nas minhas pernas,uma dor desgraçada que as vezes mal consigo levantar da cama e minhas pernas incham

    Quando eu sinto que tem uma coisa saindo da minha vagina eu fico desesperada, começo a ficar extremamente pálida e minhas pernas tremem ;-;

    ResponderExcluir
  6. "- EU TO SANGRANDO PELA VAGINA, DÁ LICENÇA POR FAVOR." Acho válido, acho digno, adotarei pra vida? SIM.

    Caramba, esse período do mês é ultra desconfortável, e isso que eu tomo anticoncepcional e não tenho tantos problemas. Nem cólica tenho direito, então só posso imaginar como é para as meninas que recebem da natureza um fluxo enorme e dores abdominais. É bem raro eu ter um fluxo intenso, mas quando tenho também fico anêmica e caindo pelos cantos, super legal. Sem falar quando tá quente, aff, porque desgraça pouca é bobagem.

    Beijo, beijo!

    ResponderExcluir
  7. "Deus existe, ele transformou menstruação em água"
    EU OUVI UM AMÉM, IRMÃOS?
    Você é incrível, sei que o momento não é apropriado, mas eu ri tanto com seu post! <3

    Novembro Inconstante

    ResponderExcluir